Horário de Verão pode Deixar de Ser Adotado no Distrito Federal

Horário de Verão pode não ser mais adotado no DF

Horário de Verão pode não ser mais adotado no DF

Desde o dia 21 de outubro, o horário de verão está vigorando em Brasília e nos estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil. Todas essas localidades tiveram os relógios adiantados em uma hora, e a medida parece não agradar muita gente. Embora haja aqueles que defendam o horário de verão e comemorem o fato de ganhar “uma hora a mais” de sol no fim do dia, muitos não gostam de ter a rotina adiantada. Essa insatisfação deixou de ser apenas assunto de conversa banal do cidadão comum e, através da deputada Eliana Pedrosa (PSD), chegou à Câmara Legislativa.

Eliana apresentou à Câmara um Projeto de Lei que propõe a realização de um referendo para saber se a população do Distrito Federal quer ou não o horário de verão. A deputada argumenta que o fato da presidente Dilma Rousseff ter atendido à solicitação do governador da Bahia, Jaques Wagner, deixando o estado de fora do horário de verão, abriu precedentes para a proposta.

O episódio foi o seguinte: os estados do Nordeste não são obrigados a adotar o horário de verão, porque neles a economia de energia gerada pela medida é insignificante, mas mesmo assim o governador havia decidido que a Bahia adiantaria os relógios em um hora, para acompanhar o horário de Brasília. Entretanto, alguns dias depois, Wagner voltou atrás e pediu à presidente Dilma que deixasse o estado de fora da medida. Isso porque, segundo ele, uma pesquisa feita com os baianos indicava que 75% da população era contra o horário de verão.

Foi com base nessa concessão da presidente Dilma Rousseff que a deputada Eliana Pedrosa apresentou o Projeto de Lei que propõe o referendo. Mas parece que as coisas na capital federal não vão ser tão simples assim. Apesar de ter sido aprovado na Câmara, o Projeto foi vetado pelo governador Agnelo Queiroz, que o considerou anticonstitucional. Resta aos parlamentares tentar derrubar o veto através de votação em plenário. Caso o Projeto seja aprovado, o referendo pode ser realizado em breve, no mais tardar no próximo ano, 2013.