Gestação e Seus Infortúnios

A gestação é uma etapa mágica, uma coisa maravilhosa que acontece na vida de uma mulher – mesmo quando ela surgiu sem planejamento. Sentir que há uma vida nova ali dentro e que ela depende diretamente da sua dá uma sensação de proporções impossíveis de se medir. É medo, é sonho, é alegria, é zelo, é receio… vem tudo junto. E essa confusão inicial é tão intensa que até que se consiga digeri-la, é difícil até de curtir o momento!

Mas gravidez não é só mar de rosas. Junto com ela vem uma série de transformações no corpo da gestante, desde hormonais até físicas e psicológicas. O sistema digestivo é um dos primeiros e sacar que tem coisa diferente no ar e ele dá o alerta rapidinho: enjoos (apesar de não acontecer com todas), intolerância a alimentos que antes eram tolerados, azias, náuseas, dificuldades digestivas, gases… São desconfortos que nem a roupa de grávida mais gostosa, nem o travesseiro mais macio dão conta de fazer passar. Mas pra sorte das gravidinhas, tudo isso tem solução.

Roupa de Grávida

 

Hormônios enlouquecidos

É uma farra. Assim que o corpo detecta a gravidez, começa um rebuliço sem tamanho! Agora, parte do sangue da mulher passa a circular numa região onde não havia tanta demanda: o interior do útero. E não é pro útero que esse sangue está indo, é pra algo lá dentro dele! E como se não bastasse, além do sangue, vão também vitaminas, proteínas, água, sais minerais… “Meu Deus! A gente vai ficar sem!”, pensa seu metabolismo, que manda um alerta geral: “produzam mais dessas coisas, senão não vai dar certo! Se não der pra produzir, importem mais! E mandem o coração acelerar um pouco pra dar conta do sangue a mais!”. É isso, gravidinha. Seu corpo agora é uma fábrica que recebeu uma “encomenda” enorme e teve que mexer em todos os setores para dar conta do pedido.

A matéria-prima é, basicamente, sua alimentação – por isso é que a fome aumenta! Você precisa ingerir vitaminas e nutrientes em quantidade suficiente para o seu organismo e também para o do bebê, que cresce depressa e precisa de cada vez mais desses elementos. E a água também! Manter-se hidratada é mais importante do que nunca, porque seu sangue precisa aumentar de volume para suprir dois corpos. Mas não espere sentir sede: crie o hábito de tomar água com frequência. E fuja da máxima “comer por dois”. A fome aumenta mas não dobra. Mantenha uma alimentação realmente saudável, sem se privar de nada, mas comendo com moderação e devagar. Percebeu que ficou satisfeita? Hora de parar, mesmo que sua avó insista que você repita um prato. ;)

Azia demais…

É muito comum a gestante ter azia. Muitas, inclusive, costumam sofrer com isso a gravidez toda e não tem uma única crise de enjoo. É normal porque, com o útero aumentando de tamanho rapidamente, o estômago vai ficando comprimido. Isso favorece o surgimento da azia e do refluxo, também. As dicas para minimizar esse problema são simples:

– evite encher muito o estômago, comendo por gula;

– caso enfie o pé na jaca, evitar deitar com o estômago ainda muito cheio; espere pelo menos uma hora antes de deitar;

– evite alimentos fermentativos como pães, bolos, alimentos muito doces, sucos muito ácidos e bebidas como chá preto e café; se não der para evitar, ao menos reduza a quantidade consumida;

Se nenhum cuidado desses der certo, faça uso de antiácidos. Existe uma boa variedade no mercado, por isso, verifique com sua médica sobre quais você pode tomar. Evite tomar leite para conter a azia; funciona num primeiro momento, mas depois o próprio leite ingerido pode piorá-la bastante.

Gases e prisão de ventre: que combinação horrorosa!

Sem dúvida, essa é das piores. O desconforto pode se tornar até bem dolorido se a situação se estender sem melhoras! Antes de procurar sua médica, tente o seguinte:

  • Para os gases: caminhar. Além de ser um exercício ótimo para essa fase, as caminhadas movimentas as vísceras e facilitam a expulsão desse incômodo. Se não resolver, existem medicamentos apropriados que “diluem” as bolhas presas dentro do intestino e ajudam a expulsá-las. Mas para evitar que esse incômodo surja, evite/reduza a ingestão de massas, farinhas, leite, sucos junto com as refeições, doces açucarados na sobremesa, mistura de cereais (como a granola), etc.
  • Para a prisão de ventre: também neste caso, as caminhadas ajudam muito. Aliadas a ela estão as fibras, que são tiro-e-queda para a prisão de ventre mais teimosa. Mas como as mulheres têm uma tendência natural a ter este problema, pode ser que algumas passem por dificuldades maiores. Nestes casos, a médica poderá orientar inclusive sobre medicamentos que auxiliem bastante.

Enjoos? Têm solução sim!

Sempre tem, gravidinha, não se desespere. Para conter aqueles terríveis enjoos matinais, dê preferência a alimentos secos como biscoito de água-e-sal, torradas, etc. Evite líquidos, que podem disparar eventos, digamos, indesejados; deixe-os para quando se sentir melhor, mas evite-os junto com as refeições, ok? Chupar laranja e abacaxi é uma boa alternativa pois você não engole líquido em grandes quantidades – e ainda ingere fibras junto. Mas o mais importante é ficar atenta aos sinais que seu corpo der. Nessa fase, você olha pra um alimento e “sente” se é boa ideia comê-lo ou não. É seu corpo falando. Escute-o.

Algumas mulheres sofrem de enjoos muito fortes e que não passam logo (lembra? Aconteceu com a Kate Middleton). Nesses casos, costuma-se administrar medicação anti-emética (contra enjoos) para ajudar a resolver. Mas isso é coisa a discutir com sua médica, ok?

Pra tudo nessa vida existe uma solução, querida. Com atenção – e uma dose extra de paciência -, você consegue passar pela gestação dominando todos os desconfortos do jeito certo. Boa sorte!