Famílias das Objetivas na Fotografia Digital

Olho de peixe

(distância focal inferior a 17mm)

Abrangem um grande ângulo de visão. São utilizadas em interiores e paisagens, assim como a grande angular. Devem ser utilizadas com cuidado porque distorcem muito o motivo fotografado. São extremamente úteis quando se quer dar ênfase a um objeto em primeiro plano, uma vez que, normalmente, permitem grande aproximação do primeiro plano sem perder foco nos demais.

Grande Angular

(ângulo de cobertura maior do que 65º ou distância focal menor do que aproximadamente 35mm)

Abrangem um ângulo maior que as objetivas normais e dão a impressão de diminuir o tamanho dos objetos. São utilizadas em paisagens, porque conseguem incluir grandes áreas, e também em interiores, porque não necessitam de grande recuo para fotografar o interior de uma sala, por exemplo. Do lado de fora de edifícios também são úteis pelo mesmo motivo. Objetivas grande-angulares favorecem grande profundidade de campo. Como o ângulo de cobertura é grande, pequenos movimentos da câmera ou de objetos na cena são toleráveis. Assim, é possível utilizar velocidade de disparo baixa sem medo de tremer a foto.

Objetiva Normal

(ângulo de visão próximo a 46º ou distância focal em torno de 50mm)

Abrangem um ângulo equivalente ao da percepção humana. O homem pode perceber movimentos em quase 180º ao seu redor, mas os detalhes acontecem num ângulo muito mais restrito, próximo àquele conseguido pela objetiva 50mm. Com esta objetiva, os objetos dão a impressão de não terem suas dimensões alteradas nem para maior nem para menor. São objetivas versáteis, podem ser utilizadas tanto para objetos isolados como para paisagens, embora não possibilitem a criatividade de uma grande angular ou tele-objetiva.

Tecnicamente, uma objetiva normal é aquela cuja distância focal é igual à medida da diagonal do filme usado. Assim, num filme 35mm, que tem 36x24mm, a diagonal é de 43,26mm. Portanto a normal “pura” seria uma objetiva de distância focal 43,26mm.

Meia Tele

(ângulo de cobertura inferior a aproximadamente 30º ou distância focal superior de 80mm a 135mm)

Abrangem um ângulo restrito de visão e limitam a profundidade de campo; por isso são boas para retratos de pessoas e para isolar objetos da cena. Como não é preciso se afastar muito para fotografar, são objetivas perfeitas para utilizar dentro de estúdios ou jardins. Nesta família, deve-se tomar cuidado com a velocidade de disparo. Qualquer movimento na câmera terá como resultado uma imagem tremida. Deve-se utilizar velocidades mais altas de disparo, ou, quando isso não for possível, utilizar um tripé ou ainda um filme de alta sensibilidade, ISO 400 ou superior.

Tele

(distância focal acima de 180mm, ângulo de cobertura inferior a 13,5º)

São objetivas mais fortes, utilizadas para aproximar motivos. O menor detalhe de um objeto, quando visto numa objetiva 210mm, é semelhante ao menor detalhe do mesmo objeto visto a olho nu. São utilizadas sempre que não se pode acercar do motivo fotografado. Numa cidade ao longe, podem ser utilizadas para isolar um prédio. Numa multidão, isolam um grupo de pessoas. A principal característica das tele é achatar os planos.

Planos distantes entre si dão a impressão de se aproximar, quando vistos através de uma tele objetiva. Embora ajudem, ainda não são suficientes para fotografar animais soltos ou esportes em campos grandes. Como é muito fácil tremer com este tipo de objetiva, é muito importante o uso de tripé ou filmes de alta sensibilidade.

Super Tele

(distância focal acima de 400mm, ângulo inferior a 6,5º)

Objetivas acima de 400mm aproximam bastante o motivo fotografado e são excelentes para fotografar animais, esportes em campos grandes ou mesmo dar uma boa ampliação à lua. São as objetivas mais utilizadas em competições esportivas. Têm muito pouca profundidade de campo, são escuras e têm que trabalhar sempre com velocidades altas e em alguns casos só é possível utilizá-las acopladas a um tripé robusto.

Macro

São objetivas fabricadas com a função específica de fotografar coisas bem próximas, como flores, insetos ou o quer que seja que esteja muito próximo e se necessite fotografar com riqueza de detalhes. Muitas são capazes de fotografar objetos em escala 1:1, ou seja, a imagem no filme é do mesmo tamanho que a imagem na realidade. Objetivas macro puras são melhores do que as objetivas macro mistas, principalmente aquelas que prometem grande qualidade no infinito e próximas ao mesmo tempo. Objetivas macro são projetadas para registrar com máxima perfeição apenas objetos próximos.

Objetos que estejam no infinito não terão a mesma qualidade. Outras objetivas são projetadas para fotografar bem objetos que estejam distantes. Com elas, motivos muito próximos não terão a mesma qualidade ótica de objetos distantes, mesmo que estejam em foco.

Fator de corte nas digitais

O filme convencional é maior que o “filme” digital de algumas câmeras digitais. Por isso o ângulo enxergado pela câmera digital é menor do que o ângulo enxergado pela câmera convencional.

Isto se chama fator de corte. Se uma câmera tem fator de corte de 1,6, isto significa que uma objetiva 100mm se comportará como 100mm x 1,6 = 160mm. Fazendo um curso de fotografia básico você vai aprender a explorar melhor sua câmera full frame ou com corte.