Estuda Aqui, Estuda Lá…

Você tem vontade de estudar fora? Nem que seja só uma parte da sua graduação, talvez aquela mais crítica em que você precisa fazer estágios obrigatórios? Muita gente tem essa vontade e, por isso, muitas oportunidades surgem nas universidades, especialmente nas federais, para que seus alunos realizem intercâmbios pelo mundo afora. Normalmente são poucas vagas, e as notas e a interação do aluno com professores e orientadores é muito importante para ser selecionado.

Mas nas faculdades particulares, essa realidade não é igual. Grande parte não possui muitos recursos para realizar este tipo de oportunidade, nem tem relações fortes com instituições de ensino e empresas do exterior, e isso constitui uma grande desvantagem de seus alunos me relação àqueles das federais. Para solucionar esse problema, os alunos mais interessados se valem das agências de intercâmbio para realizarem suas viagens e dar uma engordadinha no currículo. Mas sempre bate uma dúvida: como fazer para escolher uma agência desse tipo?

Intercambio estudo

Muita, muita pesquisa

Não tem jeito de fugir disso: você vai precisar pesquisar entre as agências disponíveis. Existem várias formas de pesquisar, e nós recomendamos que você se valha de todas elas, ok? Vamos lá:

– pesquise pelas opiniões sobre ela na internet. A gente sabe que tudo que acont4ece acaba indo parar na grande rede, inclusive as reclamações sobre as empresas. Elogios você encontra facilmente no próprio site delas, porque quem tem uma boa experiência gosta de deixar lá seu depoimento. Mas as reclamações, geralmente, vão parar no Facebook ou em sites de defesa do consumidor. Esquadrinhe todos eles usando o nome da empresa. Procure saber sobre as atitudes que ela pode tomar em caso de imprevistos (isso é MUITO importante, para que você não corra o risco de ficar na mão em outro país)

– pergunte aos conhecidos que já usaram este serviço. Experiências pessoais são grandes fontes de informação, e dão os pormenores que normalmente não encontramos nos sites das agências de intercâmbio. Por exemplo, se houve um imprevisto e como a agência fez para solucionar. Se algum amigo tem algum outro amigo que tenha ido, peça o contato e vá atrás dele para saber mais informações. Nunca é demais.

– pesquise junto a órgãos de fiscalização. Em geral, os órgãos reguladores têm campos de busca que informam os dados da empresa quando você procura por CNPJ. Aliás, essa é uma excelente forma de descobrir se aquela agência que você descobriu existe ou não, e se é idônea. Não pule essa parte, ok?

Comparações aos montes

É importante comparar entre uma agência e outra, também. Depois da pesquisa acima, você certamente terá uma lista mais filtrada com opções mais interessantes. Compare entre elas o seguinte:

– os países que elas alcançam. Pode ser que uma delas não atenda o país para onde você quer ir, por um motivo qualquer. Com isso, você já vai diminuindo sua lista um pouco mais.

– os preços. Nem sempre a melhor opção é a mais cara, e nem sempre vai ser a mais barata também. Com os preços cobrados em mãos, fraca uma comparação dos serviços que cada uma presta, pois a diferença entre os preços pode estar aí – e pode ser que você opte pela mais cara por causa desses serviços a mais. Ou não. Seja criterioso.

– documentos e prazos. Pode haver diferença entre elas, e é bom você ter essa informação para quando resolver fechar com uma ou com outra.

Tudo isso é necessário, pois são viagens muito longas e com um certo grau de risco, já que você está indo sem ter residência fixa no outro país, nem emprego fixo. Portanto, é importante saber que estará coberto o tempo todo, e que receberá a assistência que precisar da agência, caso algum imprevisto aconteça.