Era do Gelo

Atualmente, os cientistas calculam que a temperatura média da atmosfera seja de 15,5°C.

Essa medida, porém, não é constante. Ciclos de calor ou frio fazem parte da dinâmica natural da Terra. Supõe-se que períodos glaciais, com temperaturas rigorosas, são frequentes na história do planeta. Nos últimos 5 milhões de anos – grande parte dos continentes ficou coberta de gelo. Ou seja, exceção é o momento interglacial – de “veranico” – que vivemos nos últimos 10 mil anos.

Alteração global

A última glaciação, que engloba a chamada Era do Gelo, durou até cerca de 10 mil anos a.C.

A temperatura média caiu para aproximadamente 10°C. Por volta de 100 mil anos atrás, o frio tomou conta da Europa, Ásia e América do Norte, deixando vastas extensões de terra cobertas pelo gelo.

Mesmo as regiões que não foram congeladas, como o norte da África sofreram as consequências ambientais do esfriamento global.

O período glacial provocou uma espetacular evolução no modo de vida primitivo: para sobreviver ao frio, o homem teve de buscar novos recursos e provar sua capacidade de adaptação às penosas condições climáticas.

Muitos oceanos tiveram seus volumes reduzidos, depois de congelados. Pedaços da terra que, até então, eram separadas por água tornaram-se um só continente, o que possibilitou o trânsito entre diversas regiões. Desse modo viajantes primitivos atravessaram o Estreito de Bering, que separa o extremo leste da Ásia do Alasca, e alcançaram a América.

Criatividade e adaptação

Viver no frio era muito mais complicado para o homem primitivo. No entanto, a difícil sobrevivência – que incluía alimentar-se e cuidar dos filhos – gerada pelas baixas temperaturas obrigou-o a desenvolver criatividade.

Durante a Era do Gelo, o homem empregou técnicas de caça. Munidos de lanças e outras ferramentas, captura mamutes, bisões e felinos a longa distância. A alimentação rica em proteínas, hábito mantido por sucessivas gerações, favoreceu o aumento da capacidade cerebral e incrementou o ato de pensar e de superar desafios. Por volta de 10 mil anos a.C., a população humana aumentou consideravelmente, provocando a extinção de animais – apesar de um único mamute alimentar muitas pessoas. À medida que mamutes e bisões eram exterminados, a dificuldade de obtenção de alimentos tornou-se maior.

Com a diminuição das fontes de alimentação, o homem teve de rever seus hábitos. Ao mesmo tempo, o período glacial chegava ao fim, a temperatura da Terra voltava a subir gradativamente e o gelo derretia, descobrindo imensas áreas de terra produtiva. As novas condições climáticas apresentaram outras perspectivas ao homem primitivo, tais como plantar, colher e criar animais