Elevação de cargas – É preciso evitar riscos

Faz parte da natureza humana interagir com o seu meio e mudar as coisas de lugar. Desde os tempos mais remotos, o homem passou a desenvolver máquinas simples, como roldanas e alavancas, que o ajudassem a mover ou elevar objetos. Até hoje, essa necessidade existe e requer cuidados.

Elevação de cargas – É preciso evitar riscos

Em obras de grande porte, especialmente em se tratando da movimentação ou elevação de cargas muito pesadas ou com formatos irregulares, é preciso realizar um plano de rigging. Trata-se de um planejamento de todas as etapas do deslocamento da carga, com o objetivo de reduzir todos os riscos existentes: ao local, às máquinas, às pessoas envolvidas e à própria carga.

Curso Rigger

Diante da importância e do crescimento do setor de rigging, há profissionais cada vez mais especializados nessa área. O curso rigger, por exemplo, é uma excelente oportunidade para quem deseja se capacitar na execução e na supervisão dos planos de rigging, sendo recomendado a qualquer pessoa que atua com movimentação de cargas suspensas.

Equipamentos corretos

Em obras diversas, na construção civil, na agropecuária ou na indústria, a movimentação e a elevação de cargas de grande porte podem envolver a utilização de diversos equipamentos, como guindastes, gruas e pontes rolantes. Além disso, é essencial que todos os dispositivos que prendem a carga, como cintas, correntes, cabos de aço, entre outros, passem por uma rígida inspeção antes de serem empregados na elevação da carga.

Para evitar danos materiais e acidentes, que podem ser fatais, uma série de cuidados deve ser tomada. Além da utilização de equipamentos de segurança, é preciso estar atento a cada etapa do plano de rigging. Todos os envolvidos no processo, como os supervisores, sinalizadores e operadores de máquinas, devem ser treinados e capacitados para exercer suas respectivas funções. Todas as propriedades da carga (formato, material, peso, densidade, entre outras) devem ser cautelosamente analisadas para que seja escolhido o método mais seguro de transportá-la. Da mesma forma, é preciso respeitar a capacidade máxima de elevação e a velocidade de circulação durante o transporte. As circunstâncias externas também precisam ser estudadas, levando em consideração as condições climáticas e propriedades gerais do solo em que a operação ocorrerá.

A resistência dos equipamentos deve suportar o peso da carga, e as forças do vento, que quase sempre marcam presença, precisam ser consideradas para evitar riscos. Toda e qualquer carga deve ser manipulada com o mínimo possível de elevação e sem manobras bruscas.

Outras especializações

Além do curso rigger, o mercado também oferece outros tipos de cursos, como inspeção de materiais de segurança, técnicas de amarração de cargas, sinalização de rigging, transporte de cargas, entre outros.