Dr. House – 1 Temporada – 2º Episódio

House ainda está enfrentando dificuldades por causa de seu problema na perna. Revoltado, ele se recusa a atender os pacientes. Sua equipe de trabalho, formada por três ótimos médicos, está à toa, sem se envolver em nenhum caso. Por isso, Cameron, uma das médicas integrantes de sua equipe, resolve assinar uma carta por ele marcando um horário para um paciente. Por se interessar pelo diagnóstico, House começa a tratar o paciente: um jovem de 16 anos que apresenta alguns sintomas como visão dupla e terror noturno. O rapaz está a mais de três semanas sem dormir devido ao fato de que sempre que tenta é assombrado por monstros e pesadelos que não o deixam em paz.

House e sua equipe começam a investigar para descobrir a doença. Os exames que realizam não esclarecem os fatos e eles precisam tomar decisões para realizar tratamentos com diagnósticos não confirmados. O rapaz não reage ao diagnóstico e continua tento pesadelos.

Uma aposta entre os médicos sobre paternidade acaba por desencadear uma competição: House nega o fato de que aquele que se apresenta como pai do rapaz realmente seja pai biológico. Assim, para comprovar sua teoria e ganhar a aposta, ele acaba por realizar algo proibido: um exame de DNA. O resultado encontrado acaba por confirmar as suspeitas: Dan, o rapaz realmente não é filho biológico do rapaz. O que realmente desperta a atenção dos médicos é o fato de que a mãe também não é biológica: o garoto é adotado. Revoltado, House confronta os pais e questiona o motivo pela qual eles esconderam essa informação e eles alegam que não queriam que o filho soubesse. Ao descobrir o fato, House e sua equipe conseguem fazer o exame correto: a mãe biológica não havia sido vacinada e acabou por contaminar a criança com um vírus que ficou em seu organismo por todos aqueles anos e que agora começava a se manifestar. Depois de uma cirurgia, o garoto se recupera e consegue voltar a jogar os esportes que praticava antes do acontecimento. Ele também revela o fato de que já havia descoberto que era adotado e não se incomodava com isso, pois amava seus pais.