Diga Não à Depressão e à Ansiedade com a Bupropiona

Pessoa com depressão

A depressão é um mal que, se não combatido, pode prejudicar a vida e a saúde física de qualquer pessoa.

Psicólogos, médicos e especialistas em saúde pública têm afirmado em coro que a depressão é a doença do século XXI. E isso não é um discurso alarmista. Pelo contrário: aproximadamente 7% de todas as pessoas no mundo sofrem algum tipo de depressão, o que equivale a 400 milhões de indivíduos. Dessa quantidade imensa de pessoas, 11% não conseguem trabalhar justamente por causa das mazelas causadas pela doença.

O cenário atual, marcado por inconstâncias no mercado de trabalho, pelo dia a dia corrido, pela falta de tempo para as pessoas se dedicarem às coisas que mais amam e pelas pressões do sucesso e do reconhecimento profissional, é um dos motivos que levam ao avanço da depressão, que tende cada vez mais a crescer. Segundo pesquisas clínicas, isso faz com que o organismo tenha sérias disfunções hormonais, disfunções essas que afetam seriamente o humor e o bem-estar da pessoa.

Vários remédios e soluções foram inventadas pela indústria farmacêutica para inibir a depressão e tornar a vida daqueles que são acometidos por ela menos difícil e mais normal. Ainda assim, os remédios, mesmo que apresentem vantagens e benefícios, acabam causando sérios efeitos colaterais, o que faz com que o depressivo troque um problema por outro.

A bupropiona, um medicamento que já tem ampla presença no mercado, é um antidepressivo que rema contra essa realidade. Isso porque ele consegue combater as causas da depressão e mantém nos pacientes propriedades físicas inabaladas, como o apetite sexual. Além disso, a bupropiona é uma ótima aliada para depressivos fumantes, já que ela também tem como função inibir o desejo pelo tabaco.

 

Como funciona

Medicamentos

A bupropiona evita a queda da taxa de dopamina e noradrenalina no sangue.

Muitos pacientes têm a dúvida natural de como os remédios vendidos pela indústria e receitados pelos médicos funcionam. E, no caso da bupropiona, o segredo está em estimular o organismo a não reter a dopamina e a noradrenalina.

Em outras palavras, o que a bupropiona faz é que ela impede que as taxas desses hormônios caiam. Esses hormônios são tão importantes para o combate à depressão porque são eles os responsáveis pela sensação de prazer, alegria e felicidade. Eles são liberados geralmente depois de atividades bastante agradáveis, como comer algum alimento gostoso, fazer algum esporte, ter uma relação sexual ou rir e falar com pessoas divertidas. No caso dos depressivos, contudo, esses hormônios, quando produzidos, não conseguem permanecer na corrente sanguínea e, assim, a taxa de humor da pessoa adoecida fica proporcionalmente baixa.

É por causa desse mecanismo que a bupropiona também é indicada para fumantes compulsivos. Afinal, o cigarro é uma atividade que libera, através da nicotina, muita dopamina e noradrenalina. Quando o cigarro termina, porém, esses hormônios caem e, assim, vem aquela necessidade de fumar mais e mais, tornando o vício cíclico. Com a bupropiona, a taxa de dopamina e noradrenalina é controlada, de modo que o desejo por fumar vai reduzindo até o cérebro se desacostumar com o fumo.

 

Sem ansiedade!

Mulher ansiosa

Dentre os efeitos positivos da bupropiona, está a queda da ansiedade.

Com esse mecanismo, a grande vantagem da bupropiona é que ela torna o depressivo menos ansioso e mais tranquilo. Afinal, com a dopamina em alta, o que acontece é que a pessoa se sinta não só mais motivada e focada, como também tenha em mente como fazer suas coisas e quando fazer. Sendo assim, a mente ganha estímulos que evitam que nos sintamos perdidos, afobados e sobretudo irritadiços.

O controle da ansiedade tem como benefício o fato de que muitos depressivos que utilizam a bupropiona acabam perdendo peso ao longo do tratamento. Mesmo que a comida seja muitas vezes ignorada com os efeitos da depressão (e por isso vários depressivos são muito magros), há quem utilize a comida como válvula de escape e assim prejudique sua saúde física e estimule outras doenças, como diabetes, hipertensão e sobrepeso. Por isso, erroneamente, não depressivos que desejam emagrecer têm utilizado a bupropiona, o que não só não é recomendável, como ainda pode causar uma dependência desnecessária.

 

Procure um médico

Considerado tudo isso, nossa sugestão final é que, se você é depressivo e quer ter uma vida melhor e mais saudável, procure imediatamente um médico. A bupropiona só pode ser vendida com prescrição médica, por isso é ele quem vai te dizer qual medicamento é melhor para o seu caso e para a evolução de sua doença.