Dicas para iluminação correta de ambientes

Decoração e iluminação devem andar de mãos dadas. É importante escolher bem materiais, cores e posições de móveis e assessórios, bem como saber posicioná-los de forma estratégica, funcional e artística. No entanto, é importante ter em mente que um projeto de iluminação pode tanto coroar a decoração, destacando os pontos desejados e criando um clima aconchegante e convidativo, mas também pode anular todos os esforços empregados, tornando o ambiente frio ou cansativo. Para evitar esse tipo de erro, preste atenção nas dicas a seguir sobre como utilizar diferentes lustres de cristal, luminárias e abajures:

Dicas para iluminação correta de ambientes

Temperatura de cor

Existem diferentes tipos e tonalidades de iluminação e cada uma delas tem funções diferentes. Por exemplo, para ambientes mais voltados ao descanso e ao lazer, como a sala de estar, sala de televisão e dormitórios, são recomendadas lâmpadas de cor amarelada e quente, tendo em vista que elas tornam o lugar mais aconchegante. Por outro lado, há ambientes que exigem trabalho mais intenso e concentração, como a cozinha, lavanderia, banheiros e escritórios, nos quais a luz mais branca e fria é mais apropriada.

Evite o ofuscamento

Um problema bastante comum e que pode incomodar muito é o ofuscamento, que ocorre quando uma luz intensa bate em determinada superfície e reflete diretamente em nossos olhos, interferindo na visão. Para evitar que esse fenômeno ocorra dentro de casa, é preciso tomar cuidado com pontos de luz intensa próximos a objetos com materiais reflexivos, como espelhos, por exemplo.

Equilíbrio visual

Existem diferentes opções de fontes de luz interna: as luzes principais, lustres secundários, luminárias pendentes, abajures, arandelas, entre outros. Cada um destes objetos apresenta posicionamentos, direcionamentos e intensidades de luz diferentes entre si e, portanto, são indicados dependendo do efeito desejado no ambiente. A luz geral deve ser centralizada e iluminar o cômodo de forma homogênea. Teto e paredes claras ajudam a refletir a luminosidade. Também é interessante incluir pontos de luz secundários, dependendo do tamanho e localização do objeto. As luzes indiretas, como arandelas e abajures cumprem bem essa função. Para mesas, luminárias articuladas são boas opções de iluminação dirigida.

Iluminação de detalhes

Para dar destaque a nichos específicos, como prateleiras, por exemplo, é interessante aplicar a iluminação dentro do próprio móvel. Fitas de led têm sido cada vez mais utilizadas, pois iluminam de forma homogênea esses nichos. Outra opção, que requer um pouco mais de manutenção, é embutir spots com lâmpadas dicroicas na estante ou armário, que fornecem uma iluminação mais pontual. As arandelas articuladas e os abajures com clip também são ótimas escolhas, além de serem mais práticas.

Luminárias de tamanho certo

Antes de iniciar o projeto de iluminação, é fundamental levar em consideração a dimensão dos cômodos. Lustres pendentes mais discretos ou modelos embutidos são uma escolha mais certeira em se tratando de ambientes menores ou com teto rebaixado. Modelos maiores e mais chamativos, por sua vez, funcionam melhor em locais mais amplos, já que promovem iluminação sem deixar o ambiente claro demais, o que pode ser cansativo.