Depressão – A Doença do Século

Depressão - A Doença do Século

Depressão - A Doença do Século

Atualmente, uma das doenças mais devastadoras de nossa humanidade chama-se Depressão. E equivoca-se quem pensa que Depressão é apenas uma característica de tristeza profunda ou apatia sobre as coisas da vida, baixa auto-estima, incoerência de sentimentos e etc. Na verdade, trata-se de uma doença onde fisicamente constata-se distúrbios químicos no cérebro e precisa de tratamento adequado e acompanhamento profissional.

A Depressão ocorre por uma baixa nos níveis de neurotransmissores (serotonina, noradrenalina e dopamina). Estas substâncias, são responsáveis pelos estímulos que por sua vez ativam os principais sentimentos humanos.

São sintomas de depressão:

  • Humor depressivo ou irritabilidade, ansiedade e angústia.
  • Desânimo, cansaço fácil, necessidade de maior esforço para fazer as coisas.
  • Diminuição ou incapacidade de sentir alegria e prazer em atividades anteriormente consideradas agradáveis.
  • Desinteresse, falta de motivação e apatia.
  • Falta de vontade e indecisão.
  • Sentimentos de medo, insegurança, desesperança, desespero, incoerência, desamparo e vazio.
  • Pessimismo, idéias freqüentes e desproporcionais de culpa, baixa autoestima, sensação de falta de sentido na vida, inutilidade, ruína, fracasso, doença ou morte.
  • A pessoa pode desejar morrer, planejar uma forma de morrer ou tentar suicídio.
  • Interpretação distorcida e negativa da realidade: tudo é visto sob a ótica depressiva, um tom “cinzento” para si, os outros e o seu mundo.
  • Dificuldade de concentração, raciocínio mais lento e esquecimento.
  • Diminuição do desempenho sexual (pode até manter atividade sexual, mas sem a conotação prazerosa habitual) e da libido.
  • Perda ou aumento do apetite e do peso.
  • Insônia (dificuldade de conciliar o sono, múltiplos despertares ou sensação de sono muito superficial), despertar matinal precoce (geralmente duas horas antes do horário habitual) ou, menos frequentemente, aumento do sono (dorme demais e mesmo assim fica com sono a maior parte do tempo).
  • Dores e outros sintomas físicos não justificados por problemas médicos, como dores de barriga, má digestão, azia, diarréia, constipação, flatulência, tensão na nuca e nos ombros, dor de cabeça ou no corpo, sensação de corpo pesado ou de pressão no peito, entre outros. (Fonte: Wikipédia)

Todos estes sintomas acima quando observados devem ser bem diagnosticados, pois é comum o erro de diagnóstico quando se trata de Depressão. Algumas pessoas possuem distúrbios em sua composição cerebral no que se refere a distribuição de neurotransmissores, o que pode ocasionar outras doenças e síndromes quando não são bem tratadas. É importante prestar atenção aos níveis de stress da pessoa, pois este é um dos fatores determinantes para desencadear crises depressivas severas.

O tratamento da Depressão é feito em duas abordagens que devem ser combinadas entre si. Uma intervenção medicamentosa acompanhada por um médico psiquiatra e uma intervenção psicológica (terapia) que é feita por médico ou psicólogo. Vale ressaltar que tratamentos alternativos são bem indicados, e devem entrar de forma complementar, porém sem substituir o tratamento convencional.

Terapias ocupacionais, esportes, grupos de convivência, contato com a natureza, e especialmente alimentação saudável são grandes armas para prevenir e tratar pessoas com Depressão.

Já a intervenção medicamentosa deve ser seguida a risca, é um tratamento lento que em alguns casos mais graves podem se estender por vários anos e até pela vida toda do paciente. Deve ter acompanhamento rigoroso por parte do médico psiquiatra que determinará dosagem e tempo de duração do tratamento, mediante acompanhamento clínico. Hoje em dia existem inúmeros medicamentos antidepressivos.

Quando a pessoa retoma o equilíbrio e a crise depressiva se afasta, a mesma deve tomar alguns cuidados para não voltar a cair na doença. Como citado anteriormente, a prática de atividade física, a alimentação saudável e equilibrada e as terapias ocupacionais tradicionais ou alternativas, cumprem um papel fundamental neste ponto.

Sejamos saudáveis em todos os aspectos.