Curiosidades Sobre O Tamanduá-Bandeira

O tamanduá-bandeira é um animal belo por excelência. Trata-se de um animal pacífico e cauteloso, que vive de forma solitária, exceto em épocas reprodutivas, normalmente na primavera. Com uma pelagem cinza acastanhada, com tons brancos e pretos, este mamífero tem um focinho alongado e fino; sendo que a sua cauda – que pode chegar a 90 centímetros aproximadamente – por ser semelhante a uma bandeira, fez com que ele fosse popularmente conhecido como tamanduá-bandeira.

O Tamanduá-Bandeira

O Tamanduá-Bandeira

O tamanduá-bandeira, quando adulto, pode atingir 40 kg de massa corporal, e seu comprimento geralmente gira em torno de 1,20 metros a 1,80 metros, da ponta da cauda até a boca, e sua altura pode atingir 60 centímetros. A fêmea desse tamanduá tem apenas um filhote por ano, geralmente durante a primavera, que nasce após uma gestação de 190 dias; e o curioso é que esse filhote, por aproximadamente nove meses, é carregado nas costas da mãe – período esse em que ele se alimenta apenas de leite, até estar em condições de sobreviver por conta própria.

Hábitos alimentares

O tamanduá-bandeira se alimenta de formigas e cupins. E impressionante é o modo peculiar como ele captura o seu alimento: ele usa suas fortes e longas garras dianteiras para escavar as paredes dos cupinzeiros e formigueiros, onde, em seguida, introduz a sua língua pegajosa e longa, que é capaz de projetar-se 60 centímetros fora da boca para capturar os insetos que estão dentro desse formigueiro ou cupinzeiro – geralmente cupins, formigas ou larvas. E segundo os especialistas, o tamanduá chega a comer até 30 mil formigas ou cupins por dia.

Outro dado curioso é que o tamanduá-bandeira também usa as suas garras para se defender dos predadores; mas primeiro ele abraça seu predador para só então cravar-lhe as longas garras. Daí a origem da expressão popular “abraço de tamanduá”.

Habitat e riscos de extinção

O tamanduá-bandeira pode ser encontrado desde a América Central até a América do Sul, vivendo principalmente em cerrados, savanas e florestas. É uma pena que o tamanduá esteja ameaçado de extinção em vários países. As principais causas da extinção dessa espécie são: a destruição e ocupação do seu habitat natural pelo homem ( principalmente para dar lugar a pastagens e monoculturas ), a caça indiscriminada, atropelamentos rodoviários e as queimadas. E por falar em queimadas, segundo pesquisadores, a pelagem do tamanduá-bandeira é bastante inflamável, o que faz com que ele peque fogo rapidamente e morra queimado.

Portanto, como visto acima, o tamanduá-bandeira infelizmente está mesmo em risco de extinção; e se não forem tomadas medidas sérias, como a proteção e preservação do seu habitat natural, além de um trabalho de conscientização principalmente com comunidades locais, esse quadro jamais se reverterá, o que pode representar o fim de uma espécie que é de importância vital não só para o Brasil como também para o mundo.