A História dos Correios no Brasil e o Código de Endereçamento Postal

É impossível estudar a História dos Correios do nosso país, sem relacioná-lo, pelo menos de começo, aos negócios postais Lusitanos, o qual estiveram interligados por 322 anos do nosso país.

Mesmo quatro anos subsequente da Independência, Portugal não tinha os Correios do nosso país como uma autoridade postal estrangeira, e o Regulamento Postal do Região, até 1829, ainda era a mesma ”Nova Estatutos do Correio” de 1805, inaugurada pela então rei D. João, popular a Portugal e ao Brasil.

No descobrimento – ou do “achamento” – da antes denominado Ilha de Vera Cruz ou Terra de Santa Cruz por Cabral, ainda não havia correios nas nossas país; e a oficialização dos trabalhos postais, que começaria pouco após, aqui apenas teria fundação mais de 150 anos após, e, assim mesmo, mais na teoria do que na prática.

A memória dos Correios no Nosso país engloba as seguintes segmentações, quanto ao administrativo do estado e do tipo de serventia postal seguido:

  • Temporada preliminar ao Correio-Mor (1500-1663);
  • Tempo do Correio-Mor (1663-1798);
  • Período da Regência Joanina e Reino Unido (1798-1822);
  • Tempo do Primo Reinado (1822-1831);
  • Época Regencial (1831-1840);
  • Ocasião do Segundo Reinado (1840-1889);
  • Ocasião da “República Velha” (1889-1931);
  • Época do Escritório dos Correios e Telégrafos (1931-1969);
  • Época da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (de 1969 até hoje).

Olhando a sequência dos fatores, ligados aos correios, aos telégrafos, às comunicações e ao seu chefia, à dominação do Brasil ou à sua economia, são seguidos ano a ano, a começar de antes mesmo do descobrimento até hoje.

Antes de se mencionar aos fatos que finalizaram com a adição da nossa nação na cultura ocidental da ocasião, antes mesmo de expor as tratamento que passou a alcançar o Nosso país com o “Velho Mundo”, deve-se fazer um vistoria dos correios de cada uma das nações de cadadata que, de uma jeito ou outra, tiveram influxo na governo civilizatório do “mundo” de onde apareceu os Correios brasileiros.

Uma enxurrada de fatos que atribularam a Europa, a partir do século XIV, na transformação da Idade Média para os novos períodos, mudou não apenas a essência das pessoas e as características das instituições vigentes, como ainda a própria constituição das nações.

E os Correios, como ordem e administrativa a auxílio dos povos e do governo, não poderiam conservar-se a par dessas mudanças.

Mesmo com os mais variados sistemas de correios oficiais e privados suprindo as necessidades de informação da era antiga, o instrumento postal teve que caminhar, modernizar-se e amoldar às mudanças político-sociais que fizeram a percurso para esse recente tempo da Biografia da mundo.

O século XV caracterizou-se, na Europa, por um fortalecimento do ordem principal e um conseqüente melhoramento dos negócios oficiais para o remessa de notas. A estabilidade dos Estados nacionais, com a enfraquecimento do feudalismo, o alargamento de alçada absolutista das casas reinantes em desserviço da nobreza, a aumento da burguesia como importância econômica de patrocínio à império, a descoberta da imprensa e a subseqüente divulgação da desenvolvimento e do conhecimento às mais diversas camadas sociais, a laicização da cultura com a quebramento do monopólio monacal da ciência, a achado de novas terras e a coordenação de grandes impérios coloniais em terras distantes e até então desconhecidas, tudo isso multiplicou, em muito, a urgência de comunicações mais rápidas e de um preparo postal cada vez mais preciso e eficaz.

A primeira região ocidental, européia, a preencher atividade de uma longo perfeição postal foi a França, quando, em 1477, Luís XI decretou o instituição do “Serviço de Correios”, nos moldes do cursus publicus romano e dos correios imperiais de Carlos Magno, no século IX.

Após, foi a Inglaterra que formou o seu, em 1481, durante Eduardo IV, quando, em mais uma expedição prejudicial a Escócia, procurava a superioridade nas Ilhas Britânicas.

A resolução para tornar possível repartir e submeter de modo correto e breve as correspondências foi dada com a produção do CEP, o Código de Endereçamento Postal.

Encontrado no mundo todo, com algumas mudanças na quantia de dígitos utilizados, o código de Endereçamento Postal é hoje parcela obrigatória e básica no endereçamento de correspondências e pacotes. Sem ele a expedição pode não atingir ao alvo direito ou, pelo menos, não chegará com a mesma prontidão de sempre.

Hoje a pesquisa por CEPs e endereços no Brasil está moderna, e pode ser achada na Internet facilmente. É possível buscar e conhecer Qual o CEP a qualquer hora e de forma veloz.

A desenvolvimento do comércio eletrônico também impõe essa modernização, e hoje é praticável inclusive fazer o Download dos CEPs para possibilitar seu uso diário e no desenvolvimento de aplicativos.