Considerações sobre a amarração de cargas para longas distâncias

O Brasil é um dos maiores países do mundo em dimensões territoriais. Como cada região tem diferenciais econômicos, o transporte de cargas é essencial para manter o país integrado e desenvolver a economia. Infelizmente, as condições da maior parte das estradas brasileiras não é satisfatória. Buracos, deslizamentos de terra, asfalto de má qualidade e, em muitos casos, total ausência de asfaltamento são algumas das principais queixas. Para que a segurança não seja comprometida, é preciso estar atento a alguns princípios e recomendações para garantir uma amarração de carga eficiente.

Considerações sobre a amarração de cargas para longas distâncias

Forças físicas

Para entendermos a importância da amarração de cargas, é preciso compreender alguns conceitos básicos de Física. O primeiro desses conceitos é a inércia, que é definida como a tendência natural que os corpos têm de permanecer em seu estado de repouso, a não ser que alguma força atue sobre ele. Quando um caminhão está em movimento, ao frear, arrancar ou fazer curvas, tanto as pessoas quanto as cargas que estiverem nele receberão impactos que as farão entrar em movimento. Assim, da mesma maneira que devemos usar o cinto de segurança, as cargas também devem estar amarradas para que não saiam do estado de repouso.

Algumas forças da física, ao contrário, podem ajudar a conter a movimentação das cargas. Quanto maior for o peso da carga, maior será o seu atrito com o ponto de apoio (a carroceria, por exemplo) e, consequentemente, será mais difícil de a carga entrar em movimento.

Materiais de amarração

Para realizar a correta amarração, é preciso estudar quais são os materiais mais indicados para cada tipo e volume de carga. Em janeiro de 2017, o CONTRAN publicou especificações técnicas e requisitos mínimos de segurança que devem ser seguidos. Os materiais permitidos para amarração são: cintas têxteis, correntes, cabos de aço, malhas e redes de contenção. Ganchos, protetores e bloqueadores são alguns adicionais cuja utilização também está liberada.

Um item muito utilizado, mas que está proibido para fins de transporte de cargas é a corda. Independentemente dos materiais da corda, como náilon, sisal, entre outros, elas não são consideradas materiais seguros e resistentes o suficiente para suportarem os pesos e pressões exercidas pelas cargas em movimento.

Ao comprar esses equipamentos, é recomendável verificar alguns itens, como: fabricante, carga máxima de tração, data de fabricação, número da norma brasileira (NBR) correspondente e certificado de qualidade/testes.

Pontos de amarração

Além dos materiais, que devem ser resistentes, outro aspecto importante para a segurança no transporte de cargas são os pontos de amarração. É essencial que os veículos possuam pontos para amarrar os materiais de contenção de cargas, de preferência com indicação de resistência máxima. Tão importante quanto a resistência dos materiais é a força aplicada sobre os mesmos. Por isso, uma recomendação importante para todas as pessoas que trabalham com o transporte de cargas é verificar, de tempos em tempos durante a viagem, as condições gerais da carga, dos materiais e dos pontos de amarração, reforçando-os sempre que necessário. O ideal é que a carga esteja sempre bem distribuída pela superfície de transporte, de modo que nenhuma parte do veículo fique sobrecarregada.