Conheça o Descarte Correto de Resíduos Químicos

Descarte Correto de Resíduos Químicos

Descarte Correto de Resíduos Químicos

De acordo com o CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente), em sua resolução número 358, de 29 de abril de 2005, pode-se entender como resíduo químico toda a substância ou material, quando não submetido a processo de reutilização ou reciclagem, que apresente características de periculosidades e que podem apresentar risco à saúde pública ou ao meio ambiente, de acordo com suas propriedades de inflamabilidade, corrosividade, toxicidade e reatividade.

Esses resíduos e substâncias são classificados como GRUPO B pela ANISA, e podem ser exemplificados, de acordo com a resolução 385, como:

  • Qualquer tipo de produto descartado pela área da saúde, drogarias ou distribuidores de medicamentos, além dos resíduos farmacêuticos de medicamentos controlados pela Portaria MS 344/98, sejam eles hormonais ou drogas que inibem o crescimento de micro-organismos (também chamados de antimicrobianos). Também são mencionados os medicamentos utilizados para destruir neoplasmas (antineoplásicos), os que destroem células malignas (citostáticos), substâncias que aumentam a circulação (digitálicos), drogas que atuam no sistema imunológico (imunossupressores e imunomoduladores) e, finalmente, os antirretrovirais;
  • Todos os resíduos sanitários, os desinfetantes, os desinfestantes (como inseticidas, por exemplo), resíduos que contém metais pesados, produtos químicos utilizados em laboratórios e até mesmo os recipientes que foram contaminados pelos mesmos;
  • Reveladores e fixadores, ou seja, efluentes radiográficos para serviços de diagnóstico por imagem;
  • Resíduos de equipamentos automáticos, empregados em exames clínicos;
  • Todos os produtos classificados como perigosos, segundo a categorização disponibilizada pela NBR 10.004 – ABNT, sendo eles: tóxicos, inflamáveis, corrosivos ou reativos.

O descarte de resíduos químicos deve ser feito de acordo com as regulamentações estabelecidas pelo CONAMA e pela ANVISA, que específica que todo resíduo químico deve ser separado e identificado para o correto descarte, de acordo com suas características e procedências, sejam laboratoriais ou industriais, a fim de não expor nem a sociedade e nem patrimônios públicos ou ambientais a riscos de contaminação, sendo os geradores desses resíduos os responsáveis por sua destinação final.