Como Resistir ao Jogo Compulsivo

O jogo compulsivo é um problema que afeta inúmeras pessoas e cujas consequências podem ser desastrosas, seja a nível financeiro seja a nível pessoal e emocional ou até mesmo a nível profissional. São muitas as pessoas que não conseguem passar pela porta de um casino sem sentir um ímpeto incontrolável para entrar e jogar. Quem diz num casino pode também dizer num quiosque da lotaria, do totoloto ou mesmo de raspadinhas.

Estas pessoas são designadas de jogadoras compulsivas e existem muitos exemplos de algumas que arruinaram a sua vida por causa desse vício incontrolável.

Para os casos mais graves da obsessão do jogo, só mesmo acompanhamento médico poderá ajudar. Existem atualmente várias terapias medicamentosas que foram comprovadas no tratamento de jogadores compulsivos com bons resultados. Falamos aqui de tratamentos com antidepressivos, lítio ou antagonistas de opiáceos.

Existem outras situações em que o tratamento psicológico, a autoajuda ou os grupos como os jogadores anônimos são suficientes para controlar o desejo de jogar. As situações atrás mencionadas são contudo as mais graves. Porém, há pessoas que sem terem um problema de saúde identificado, sentem por vezes necessidade compulsiva de jogar.

Para essas pessoas existem alguns truques simples que podem ajudar a evitar situações de risco e levar a que seja possível jogar com moderação, sem colocar em causa a estabilidade emocional e física.

A forma mais simples e imediata será, naturalmente, não entrar em locais de jogo. Se não for possível jogar e se a compulsão não for elevada, a pessoa ficará tranquila, muito mais se tiver o apoio da família e dos amigos. A vontade de jogar será facilmente esquecida em troca de uma tarde ou noite bem descontraída. Há até pessoas que resolvem o desejo de jogar com um bom jogo de póquer entre amigos, sem dinheiro em jogo, ou até mesmo um agradável jogo de tabuleiro.

Se for inevitável entrar no casino, o jogador deve evitar fazê-lo sozinho. A companhia de um amigo ou de um familiar que não se sinta minimamente entusiasmado pelo jogo é muito dissuasora e após algumas jogadas surgirão os olhares de reprovação que levarão o jogador a sentir-se deslocado.

Para quem possa sentir vontade compulsiva de jogar, não é aconselhável entrar com muito dinheiro. O jogador deve analisar previamente o montante que está disposto a perder e levar consigo apenas e só esse mesmo montante. Da mesma forma que não se deve levar muito dinheiro, também não se deve levar cartões de crédito ou de débito.

Os casinos estão estruturados e pensados para estimular a vontade de jogar. Por exemplo, não existem janelas ou relógios que possam distrair o jogador ou alertá-lo para o tempo que passou a jogar. Para contornar esta situação, o jogador deve levar relógio e marcar uma hora para terminar o seu jogo. Desta forma não se perderá no tempo, podendo até definir um alarme ou pedir a alguém de confiança que lhe ligue para o telemóvel.

Estas foram apenas algumas dicas mas a força de vontade é a maior inimiga do vício. Se ela não funcionar, é sempre bom recordar que a única forma de fazer uma pequena fortuna no jogo é começar com uma grande.