Como e Porque os Vaga-lumes Emitem Luz?

Bioluminescência nos vaga-lumes

Bioluminescência nos vaga-lumes

No mundo dos seres vivos existem vários filos capaz de emitir luzes próprias,essas luzes são chamado de bioluminescência que são reações químicas produzidas no próprio animal, sendo eles: as Algas (Synechococcus), os Cnidários (águas vivas e medusas), os Moluscos (polvos e lulas), os crustáceos (Cypridina ), os Anelídeos (poliquetos e oligoquetos), os Equinodermos (estrela do mar), os Cordados (urocordados e peixes), os Artrópodes (algumas espécies de insetos) e também a bioluminescência pode ser encontrada em diversas espécies de fungos.

Até os dias de hoje não foram catalogados pelos biólogos seres bioluminescentes de filos, como, os anfíbios, os répteis e os mamíferos. Para os especialistas, os animais que possuem esse fenômeno são conhecidos como bioluminescentes.

No Brasil temos um exemplar muito conhecida que produz este fenômeno, os vaga-lumes ou pirilampos da ordem Coleoptera e da família Lampyridae. A espécie mais comum é a Lampyris noctiluca. São animais pequenos, com tamanhos variados, cerca de 1 a 3 cm, dependendo de sua espécie.Apenas os vaga-lumes machos possui 2 asas e élitros, as fêmeas não possui asas, elas se rastejam-se no chão para chamar atenção do companheiro que estão no ar emitindo flashes de luzes, por não possuírem asas elas possuem pequenas glandulas que secretam luciferina para se tornar luminescentes no chão, tornado assim a atração do macho que vai ao encontro da para realizar a cópula.
Este animal possui três fases de sua vida: fase larval, quando jovem, pupa e em fase de inseto, propriamente dita, quando adulto. Na fase larval os vaga-lumes chegam a se alimentar de outros insetos.

A bioluminescência nos vaga-lumes pode ocorrer por vários fatores, tais como: para proteção (na fase larval) e para corte sexual e atração da fêmea (na fase adulta). A parte do animal que ocorre o tal fenômeno é em sua região abdominal. A cópula dos vaga-lumes ocorre no verão, época em que se encontram mais ativos para a reprodução. O fenômeno da bioluminescência é produzido através da oxidação de um de enzima, chamada luciferina (do latim  lúcifer significa: que brilha). Ao interagi-la com o oxigênio, se transforma em oxiluciferina, na presença do trifosfato de adenosina (ATP) a molécula de oxiluciferina se transforma em forma de luz. A principal razão desse fenômeno é encontrar um parceiro para a reprodução. A iluminação públicas das cidades, por serem fortes, estão prejudicando os vaga-lumes que afetam a bioluminescência, podendo interferir na reprodução e levando o animal em extinção.