Chikunguya da África: O que é isso?

Eu nunca tinha ouvido falar, e fui tomar conhecimento desse negócio agora recentemente, quando avaliava uma notícia sobre a evolução da dengue, em nosso país. Certas doenças e enfermidades, ainda que de muito graves conseqüências, vão se tornando tão comuns que as próprias vitimas se acomodam com o seu avanço, e já não tomam mais as devidas e indispensáveis providências, para a competente erradicação, que muitas das vezes é perfeitamente factível.

No caso específico da dengue, por exemplo, se cada um de nós tivesse uma postura adequada diante do potencial transmissor do vírus, com toda a certeza, esta praga já não daria mais notícias aqui no Brasil. Mas, como dissemos antes, nós nos habituamos a viver com as doenças, e pior ainda com os seus vetores. Parece hipocondria. Chikunguya é uma doença causada por um vírus e, apesar de não ser letal, provoca muitas dores nas articulações e febre alta. Parece-se com a própria dengue.

 Ela é endêmica da África e do sul asiático, sendo, portanto, importada para cá e pode levar o indivíduo contaminado a ficar incapacitado por até seis meses, se não for tratado adequadamente. Mas, a notícia que mais incomoda a este respeito é que o vetor é o próprio mosquito transmissor da dengue, o Aedes Aegypti. Embora a doença não seja transmitida de pessoa para pessoa, um indivíduo contaminado poderá se tornar um importante veículo transmissor se for picado pelo mosquito, dentro dos primeiros cinco dias do surgimento dos sintomas. Mais um motivo para, além de nos preocuparmos, nos ocuparmos em acabar de vez com aquele vetor.

A doença é tão intensiva, que algumas pessoas têm que lançar mão de uma cadeira de rodas para se locomover por um longo período de tempo, devido às fortes dores provocadas pela virose nas suas articulações. O nome, que a princípio parece estranho, tem suas origens em um dialeto proveniente da Tanzânia e o seu significado é “aqueles que se dobram”, por causa da dificuldade de locomoção dos pacientes. Precisamos tomar cuidado, muito cuidado, pois não se sabe quantos tipos de vírus mais este mosquito pode vir a transportar, e além do mais esse bichinho aparentemente inofensivo, já adquiriu novas características e agora já não se importa muito com a qualidade da água para depositar os seus ovos. Definitivamente, não podemos nos acomodar.