Carnaval – Conheça as Tradições e a História do Carnaval

Início do carnaval

A festa de carnaval surgiu na Grécia entre os anos 600 e 520 a.C.. Por meio dessa festa, os gregos faziam seus rituais em agradecimento aos deuses pela fertilidade do solo e pela produção.

Mais tarde, o povo grego e romano introduziu bebidas e práticas sexuais na festa, tornando-a inaceitável aos olhos da Igreja. Mas, com o passar tempo, por volta de 590 d.C, a Igreja Católica adotou essa comemoração.

A partir da admissão do carnaval por parte da Igreja, a festa passou a ser comemorada através de cultos oficiais, o que exclui os “atos impuros”. Tal mudança foi profundamente espantosa aos olhos do povo, visto que saía das verdadeiras origens da festa, como a festividade pela alegria e pelas conquistas. Durante o Concílio de Trento, em 1545, a festa de carnaval voltou a ser um festejo popular.

No Brasil, por volta de 1723, o carnaval chegou sob influência européia. A festa acontecia através de desfiles de indivíduos fantasiados e mascarados. Os blocos de carnaval, com carros enfeitados e pessoas fantasiadas da forma semelhante à de hoje, surgiram apenas no século XIX.

Adotada grandemente pela população brasileira, o carnaval se tornou uma das maiores festas do país. Graças às famosíssimas marchinhas carnavalescas, o carnaval brasileiro cresceu em número de participantes e em qualidade.

Tradições do carnaval

Carnaval

Antigamente, o carnaval no Brasil era denominado entrudo, um tipo de brincadeira de rua, que foi se inovando e modificando: novos elementos foram sendo acrescentados, como as sociedades carnavalescas, o grupo de foliões tocadores de tambores e zabumba Zé Pereira, os blocos, os cordões e os ranchos.

Arlequim, Columbina, Pierrô e o Rei Momo são figuras presentes até hoje na cultura do carnaval. O carnaval do Rio de Janeiro e de São Paulo distingue-se de outras cidades brasileiras, porque existe competição entre as escolas de samba. No entanto, é na capital do estado baiano, Salvador, que o calor humano é literalmente sentido com a presença de afoxés,blocos carnavalescos e trios elétricos.

Fantasias de Carnaval

fantasias para carnaval

Até a década 1930, as fantasias (fantasias adultas e fantasias infantis) eram simples, com trajes adaptados, tingidos, enfeitados de forma ingênua, visto que os materiais que poderiam enriquecê-las, como os adereços de cabeça, ornamentos, sapatilhas e tecidos, eram muito caros, sendo vistos mais nos desfiles de escolas de samba.

Nos clubes e desfiles de rua, algumas fantasias de carnaval se tornaram mais famosas, como bobo da corte, caveira, colombina, diabo, malandro, médico, morcego, odalisca, palhaço, pierrô, príncipe, super heróis, vedete, dentre outros.

As fantasias dos bailes de gala seguiram o modelo dos bailes de Veneza, em que eram avaliadas nas categorias luxo e originalidade. Já as fantasias das escolas de samba explicam a história contada na letra do samba enredo.

As mesmas, precisam ser coerentes ao tema e aparecer em consonância com o conjunto da escola. Além da Comissão de Frente, que dá a primeira impressão da escola, as fantasias mais importantes numa escola de samba são as fantasias de Mestre Sala e Porta Bandeira.

  • yure

    ola…Gostaria muito de saber qual é o creme que usa com a glicerina??obrigado…