Dentre as características das ciências sociais, estão: a) linha de base: leis sociais revelam tendências na sociedade, mas isso não significa que inevitavelmente se encontram no natural. b) coletivo ou de massa: aplicam-se à sociedade como um todo. Essas leis são agrupadas em: 1 – Lei de uniformidades empíricas, 2 – As leis da evolução, quantitativa três leis.

1 – São aquelas que manifestam os modos habituais de suceder os feitos de uma sociedade, por exemplo: “As leis da imitação” (tarde) e as “Leis da multidão” (Lebon). Uma das leis de Lebon é que o homem na multidão, a sua inteligência é subtraída, e seus sentimentos são somados.

2 – As leis da evolução não procuram estabelecer os fatos como eles acontecem na realidade, mas como devem acontecer no futuro. Por exemplo, “A lei dos três estados” (Comte). Essas leis da evolução são ainda discutidas porque são baseadas em suposições.

3 – As leis quantitativas são aquelas que surgem a partir de fatos sociais a partir do ponto de vista da quantidade, por exemplo: “suicídio Act” (Durkheim), afirma que o suicídio varia inversamente com a solidariedade social.

Método: É um caminho que é utilizado para chegar à verdade científica. Cada ciência deve fazer o seu método. Por muito tempo o método da sociologia não foi considerado importante. Apenas quando a sociologia aparece como uma ciência (obra de Comte) é formulada pela primeira vez a necessidade de criar um método próprio (positivista científico). Comte criou e chamou de “método histórico“. Este método era a criação de uma série de eventos aumentando e diminuindo os fenômenos sociais observados em todos autorizados a prever o desenvolvimento da humanidade.

Se nos referimos ao problema do método em geral e em particular no campo científico, devemos estabelecer que formular um método adequado sopõe uma atitude crítica por parte de muitos cientistas. Em segundo lugar deve haver uma atitude objetiva. O método científico considera os feitos sem determinar princípios de valor, devendo eliminar todos os preconceitos que tenha relação com o fenômeno que se está estudando. Em terceiro lugar, precisam-se evitar erros que possam surgir a partir de seus próprios processos mentais ou que possam surgir a partir da aplicação de técnicas de pesquisa.

Métodos lógicos: encontramos o método dedutivo e indutivo; formas de pensar, maneiras de lidar inteligência humana. Devemos distinguir o método lógico de técnicas de investigação (procedimentos, como manipular os fatos, para fácil observação).

O método dedutivo parte das verdades estabelecidas e interfere nas consequências que estão implícitas nelas. Deduzir e combinar conhecimentos e partir de uma verdade existente para chegar a uma nova.

O método indutivo é o processo inverso, partindo da experiência, analisando um feito em particular. Vai do particular ao geral. O método indutivo se baseia em compreender a realidade mediante a observação de determinados feitos com os demais, tratando de se extrair princípios que permitam explicá-los.
Estes métodos são considerados opostos, mas hoje a idéia básica é que eles formam uma unidade e isso se manifesta na expressão “Induzir para deduzir a fim de construir.”.