Buchas do Trambulador: Elas “Quebram” seu Câmbio

Buchas do trambulador

Buchas do trambulador

Estar andando pela estrada, sem maiores problemas, e de repente ao ter de reduzir uma marcha, simplesmente a manopla do câmbio fica boba, sem função é algo assustador, certo? Sim, naturalmente, para a maioria dos motoristas isto seria motivo de desespero, uma vez que o câmbio é uma parte vital do carro e sem ele, em nada adianta ter um bom motor, com todo rodando sem maiores problemas. Entretanto, a culpa na maior parte das situações é do trambulador.

O que seria o trambulador?

Essa peça de nome bastante esquisito é, na verdade, o encaixe da alavanca de mudança ao câmbio propriamente dito. É o trambulador e suas buchas de encaixes que fazem a manopla engatarem as marchas do seu carro. Com o tempo, as buchas se desgastam, bem como a parte metálica e, dessa forma, há o rompimento da junção. Assim, dentro do carro, a manopla de mudança fica mole e o carro impossibilitado de mudar de marcha.

Para a boa manutenção da peça, faça trocas do conjunto do trambulador regularmente. Na verdade, todo o câmbio deve receber algum tipo de manutenção como troca de óleo da caixa a cada 45 mil km ou três anos. A peça não requer muitas manutenções em pequenos espaços de tempo, mas é bom estar sempre observando seu comportamento. Afinal, como toda peça mecânica, pode apresentar defeito.

Cuide do seu carro: troca de óleo e observação são grandes armas

O carro é uma máquina complexa e deve receber manutenção sempre que possível e quando necessário. Trocar os óleos é sempre necessário. Quem mora numa grande cidade como o Rio de Janeiro deve, por exemplo, fazer alinhamento e balanceamento regularmente devidos aos buracos. Trocar pneus no Rio de Janeiro também é uma realidade mais veloz do que em cidades pequenas, assim, estar sempre de olho faz bem ao carro e ao seu bolso que não precisa consertar grandes estragos.