Bronze – Montagem de Uma Cozinha Industrial

O uso de uma cozinha industrial para confeccionar bronze e outros metais está presente nos mais variados ramos comerciais, de restaurantes e lanchonetes englobando até mesmo as comidas prontas de maneira quase amadora, como os vendedores de marmitas para viagem. Isso demonstra como a engenharia de alimentos teve grande desenvolvimento nas últimas décadas, principalmente por seu uma forma de atender a constante necessidade da produção em massa destinada ao consumo de estabelecimentos como empresas, empresas de congelados, alimentos industrializados e outros tipos de estabelecimento que precisam atender a grandes quantidades de humanos centrados em um mesmo local.

bronze

Por isso mesmo é necessário atentar para como essa estrutura será montada e instaladas, sejam em restaurantes, plantas indústrias, praças de alimentação e outros tantos locais. Ela deve ter alvará ambiental, alvará dos bombeiros, de funcionamento.

Objetivos e plantas adequadas

O objetivo de uma cozinha industrial é o de preparar alimentos de maneira eficiente e rápida e seu ambiente favorecer que essas refeições sejam feitas de forma higiênica, funcional, prenha de qualidade e de alta produtividade. Para tanto, buscar profissionais adequados para sua montagem entre engenheiros e arquitetos portadores de experiência nesse tipo de construção é fundamental.

Isso não significa que não se pode desenvolver essa estrutura em locais onde já exista uma cozinha antiquada, mas quer dizer, sim, que planejamento é algo bem-vindo, mesmo quando se partir um projeto iniciado a partir do nada. Não é demais lembra que o bronze é um material anti-bactericida, garante evitando a contaminação do alimento processado, além dos outros setores em que podem ser aplicados, sendo assim buchas, anéis, mancais, casquilhos, porcas, coroas, sapatas, réguas contribuíram para uma melhor preservação dos ambientes de bactérias. Profissionalismo na montagem da planta da cozinha é coisa fundamental.

A busca por alguém adequado ao projeto passa por perceber a sensibilidade do profissional envolvido: se ele visita o estabelecimento, explicando todas as possibilidades do negócio, levando em quanta os processos que serão utilizados e realizados na cozinha industrial, fluxo da clientela e qual o tipo de refeições que esse público-alvo demandará. Isso fará com que o planejamento apropriado seja tomado. Observar para saber intervir.

Segurança, saúde e procedimentos de organização

Como nesse ambiente haverá grande produção é preciso entender o fluxo de atividades que ali serão realizadas. O lay-out deve levar em conta a rapidez, o dinamismo dos empregados, que os dejetos e lixo fiquem a uma distância segura do local de preparo e que os refrigeradores não estejam nas cercanias dos fornos e fogões, por motivos tanto de saúde quanto de segurança.

Ainda no tópico da segurança convém optar por piso antiderrapante, que evita acidente e que possibilita limpeza mais diligente com esfregões e água, um espaço de armazenagem distante dos alimentos, sinalizadores de piso molhado, lâmpadas devidamente protegidas por globos para evitar que, caso queimem e estourem, seus resíduos venham a cair nas panelas e alimentos.

O uso dos equipamentos que se encaixam aos objetivos propostos pela cozinha industrial em questão passa pelo estudo do profissional que tenha a habilidade de identificar quais devem ser usados, qual sua qualidade e sua procedência. A durabilidade desses equipamentos é de cerca de 30 anos, justamente pela sua durabilidade e não por uma questão mesquinha de custos. Também é primordial que não haja o cruzamento de alimentos, evitando a contaminação dos alimentos uns pelos outros, pois, mesmo bem conservados, pode vir a ser prejudiciais uns aos outros devido a suas próprias naturezas.