Bambu: Um Verdadeiro Exterminador de CO2

Bambu no combate ao efeito estufa

Bambu no combate ao efeito estufa

Vocês sabiam que o bambu é classificado como uma planta C4? Pois é, o bambu possui uma via adicional que incorpora carbono e, com isso, faz mais fotossíntese!

Como o bambu extermina o CO2

Os bambus, assim como as árvores e os oceanos, usam o carbono através da fotossíntese, para gerar carboidratos. Quando uma árvore ou bambu cresce, é retirada da atmosfera certa quantidade de carbono que fica retido na planta.

O bambu gera mais O2 que o equivalente a três árvores. Algumas espécies de bambu chegam a absorver mais de 12 toneladas/hectare de CO2 da atmosfera e é a planta que tem a maior taxa de crescimento da terra, isso contribui para o bambu ser um importante sequestrador de carbono.

Quantidade de CO2 absorvido pelo bambu

No primeiro ano, ele já alcança 70% de seu tamanho total. Levando em conta que em média brotam 10 colmos de bambu por moita (10 brotos) no mínimo, nota-se que uma muda tem grande potencial de sequestro. Uma moita normalmente possui de 30 a 40 colmos. Segundo o instituto do bambu, a planta é composta por 48% de carbono.

Dez colmos ou uma moita adulta, no mínimo sequestram 604 kg de CO2. Isto equivale a 240 litros de gasolina, por exemplo. Com isso, se você gastar um tanque de 50 litros de gasolina por semana, plantando onze mudas de bambu, irá compensar esta poluição por um ano!

Por isso o bambu pode ser um grande aliado no combate ao efeito estufa, especialmente nos dias atuais em que tanto se procura meios sustentáveis de não só reduzir a quantidade de CO2 produzida, como também alternativas para a absorção e manutenção do CO2 já lançado na atmosfera.

Além disso, o bambu também é muito importante para o combate a erosão de encostas de rios e açudes, graças as suas raízes de crescimento rápido que seguram o solo. No entanto, cabe ressaltar que seu plantio requer cuidado, uma vez que o bambu pode se tornar uma planta invasiva.