Avatar, Que Filme!

Se deliciar com as imagens visionárias de J. Cameron no filme Avatar já é um prazer, mas o maior diferencial desta empolgante aventura é a emoção que ela nos traz em meio aos acontecimentos ocorridos em Pandora.

Quem ainda não assistiu, está perdendo uma oportunidade de se maravilhar com momentos raros que somente as obras primas nos proporcionam. Tudo é perfeito nesta Produção em 3D: Os efeitos especiais, a trilha sonora, os atores, mas o forte de Avatar é nos fazer refletir sobre o que somos e o que gostaríamos de ser ou de fazer.

Alguns momentos marcantes, que podem passar despercebidos por muitos, mas que trazem mensagens escondidas nas entrelinhas. Já no início do Filme, a Dra. Grace (Sigourney Weaver) humilha Jake (Sam Worthington) o “Mocinho” da saga.

Faltou chamá-lo apenas de aleijado inútil.

Quando o “Clone Azul” de Jake acorda a primeira e vez e sai correndo em desesperada carreira, ele apalpa a terra com os pés. Neste momento percebemos o quanto as pernas são importantes em nossas vidas. E quando os membros da Tribo reverenciam o mais novo filho da aldeia! É emoção pura. E quando ele conquista aquele animal voador e sai “pilotando” o tal avião colorido. Perdemos o fôlego.

Nossos parabéns à equipe que produziu o filme.

  • Meu, muito maneira esta resenha.
    O cara expressou a emoção que sentiu assistindo o filme.

    E o filme é irado mesmo