“Ask The Dust”

Atrasado na agenda, vejo em menos de 24 horas dois filmes de livros. “Ask the Dust” de Robert Towne adapta o livro John Fante (“Na Poeira do Tempo”) e “La Moustache”(com a impossivel tradução de “Amor Suspeito”) escrito pelo próprio, Emmanuel Carrère.

Fazer um filme de um livro é sempre um desafio desigual, em que o livro tem uma esmagadora vantagem a maioria das vezes. Basta tentar pegar num livro e ousar passá-lo para filme, fragmentando-o, encaixando-as naquele tempo definido. Não chega de todo ler um subtexto por cima…
“Le Moustache” é um filme que falha a tal “transposição”. É sem dúvida elegante, sóbrio, sólido, bem feito, com a segurança do seu bom gosto. Mas falha quando nos deixa a pairar no vazio a olhar para as imagens não traduzidas do texto. Há demasiado espaço em branco por preencher. É uma manta de retalhos de pontas soltas. A parte final do filme, em Hong Kong acaba por se transformar num longo trailer ao livro do realizador, Emmanuel Carrère.
“Ask The Dust” de Robert Towne, pelo contrário é um filme que sabe que para ser fiel ao livro o mais importante a fazer é captar o seu “feeling”, a sua vibração, o seu sabor. Tendo perfeita consciência das suas limitações, não tenta ser mais do que aquilo que pretende ser, uma singela homenagem ao livro. Na sua simplicidade é um belo filme.