As Inesquecíveis Trilhas Sonoras de Novelas

As novelas da Globo são famosas por características sempre presentes nas produções da emissora: autores e diretores criativos, elenco talentoso, qualidade técnica invejável e trilhas sonoras marcantes. Sempre tem aquela música que a gente ouve e logo lembra que era tema de um determinado personagem, ou mesmo da abertura da novela. Quando bem escolhidas, as músicas fazem tanto sucesso que os CDs com a trilha nacional e internacional são aguardados pelos telespectadores desde os primeiros capítulos.

Trilhas Sonoras de Novelas

Trilhas Sonoras de Novelas

Um exemplo disso é a trilha sonora de Avenida Brasil, folhetim de autoria de João Emanuel Carneiro que está sendo exibido no horário das oito. A novela traz músicas de artistas e bandas que são a sensação do momento, como Michel Teló, Sorriso Maroto, Luan Santana e até a cantora e compositora britânica Adele. O tema de abertura também é um grande sucesso. A música é uma adaptação do hit “Danza kuduro”, composição do português Lucenzo estourada na América Latina, Europa e Estados Unidos. Para se ter uma idéia, a canção já foi usada até no filme Velozes e Furiosos 5. O ritmo contagiante é resultado da fusão de hip hop, reggaeton, dance music e, claro, kuduro (ritmo angolano). A versão tocada na abertura de Avenida Brasil tem letra em português brasileiro, recebeu o nome de “Dançar com tudo” e é interpretada pela  dupla Robson Moura e Lino Krizz. As mudanças pouco importaram para os brasileiros, e o hit é tocado em qualquer festa ou qualquer esquina onde tenha gente com vontade de dançar e se divertir.

Outra trilha que está chamando a atenção é a da novela Gabriela. O remake da trama inspirada na obra de Jorge Amado traz nove músicas que fizeram parte da trilha sonora original.

Algumas foram compostas especialmente para a produção televisiva, conquistaram o público e permanecem fortes no imaginário popular até hoje. A mais marcante delas, sem dúvidas, é “Modinha para Gabriela”, composição de Dorival Caymmi que embala a abertura da novela na voz de Gal Costa. Críticos de teledramaturgia e os próprios telespectadores que assistiram à primeira versão do folhetim, exibida em 1975, afirmam que a repetição dessas canções os faz sentir como se voltassem no tempo. Comentários desse tipo só reafirmam a importância que as trilhas sonoras têm para as nossas telenovelas.