Arquitetura sustentável e as possibilidades do brise

Dois princípios norteiam a arquitetura e as construções em geral na atualidade: estética e conforto. O projeto de qualquer casa ou de estabelecimentos diversos precisa ser funcional, com base nas atividades desenvolvidas em cada ambiente, mas também deve ser agradável de se olhar, acompanhando as principais tendências em formas, cores e materiais.

Arquitetura sustentável e as possibilidades do brise

Além desses dois aspectos, um terceiro pilar tem feito parte da arquitetura contemporânea e tem adquirido cada vez mais importância: a sustentabilidade. Não basta ser elegante, é preciso promover economia de recursos e estar em total harmonia com o meio ambiente. Unir essas três características é o grande desafio posto à frente dos arquitetos de todo o mundo, mas alguns itens podem simplificar o processo. Um bom exemplo é o brise.

O que é o brise?

O brise, cujo nome completo é brise-soleil, o mesmo que quebra-sol, é um item arquitetônico formado por um conjunto de lâminas paralelas, que podem ser horizontais ou verticais. Esse item é aplicado em áreas externas para controlar a entrada de luz solar nos ambientes internos, favorecendo também o controle da temperatura.

O brise pode ser produzido com diferentes materiais, como a madeira, mas o brise metálico também é bastante popular. Surgido entre as décadas de 30 e 40, esse elemento da arquitetura modernista surgiu da mente criativa do arquiteto franco-suíço Le Corbusier e revolucionou as fachadas de residências e edifícios comerciais, influenciando também a escultura moderna.

Como os brises são itens sustentáveis?

Os brises “quebram” a luz solar, evitando que haja uma propagação intensa de calor para os ambientes internos, sem que seja necessário bloquear completamente a entrada de luz natural. Por este motivo, não é necessário fechar as janelas e acender as luzes, tampouco é preciso ligar ventiladores e aparelhos de ar-condicionado para manter o ambiente mais fresco.

Otimizando a entrada de luz e o conforto térmico dos espaços onde é aplicado, o brise, portanto, ajuda a economizar energia, o que é ótimo tanto do ponto de vista financeiro quanto do ponto de vista ecológico. Aproveitando o que a natureza nos oferece (luz, calor e ventilação natural), os brises também podem ser posicionados de diferentes formas e dão um charme especial às fachadas.

Como posicionar as lâminas?

As lâminas dos brises podem ser posicionadas na vertical ou na horizontal. Para otimizar a eficiência do brise, há algumas recomendações específicas, com base na análise da maneira como os raios solares incidem sobre o imóvel.

Nas regiões tropicais, como é o caso da maior parte do Brasil, as fachadas possuem recomendações diferentes. A disposição horizontal, por exemplo, é mais indicada para a fachada norte. Para as fachadas leste e oeste, por sua vez, é recomendada a disposição vertical, por causa do ângulo da luz solar ao amanhecer (leste) ou ao entardecer (oeste).

Para quem procura por sofisticação, elegância, conforto térmico e eficiência enérgica, há um item arquitetônico que une todos esses atributos: o brise.