A Tecnologia 3D irá Salvar o Cinema?


A Tecnologia 3D irá Salvar o Cinema?

A Tecnologia 3D irá Salvar o Cinema?

Durante os últimos anos, no mundo todo tem se visto uma queda acentuada no número de espectadores nos cinemas e, conseqüentemente, a diminuição do rendimento do setor. Alguns especialistas no assunto ressaltam que as causas eram das mais variadas, indo desde o sucesso dos programas de televisão ao boom da internet; A morte do cinema convencional estava prevista.

Entretanto, apesar das previsões pessimistas, nos anos de 2009 e 2010 tivemos uma reviravolta nessa história, os cinemas finalmente começaram a atrair pessoas novamente e voltaram a se tornar um negócio significativamente rentável.

Uma das possíveis causas foi o surgimento de um cinema 3D mais realístico e mais bem acabado, com uma produção nacional mais variada em gêneros e grandes lançamentos internacionais, estes são os fatores que justificam essa mudança de tendência. O cinema 3D melhorou tanto tecnicamente quanto na qualidade dos filmes. Outro fator importante que se deu ao enorme sucesso do 3D foi demonstrado pela astronômica bilheteria que teve o último filme de James Cameron, Avatar. A animação neste filme é incrível e atenção excelente aos detalhes quando recriar em modelagem 3D dos corpos e dos espaços e texturas de cada mundo.

Entre uma ideia e outra, há ainda muita contradição sobre o futuro do cinema. O diretor de “Alice no País das Maravilhas”, Tim Burton, declarou: “Não acho que o 3D seja algo que vá salvar a economia ou salvar o mundo. É só mais uma ferramenta que às vezes é divertida de se usar, e em outras não”, em resposta a afirmação de que o espaço conquistado pelo 3D poderia colocar em risco as formas tradicionais de se fazer cinema.

A favor ou contra, não podemos negar o recente crescimento no número de pessoas nos cinemas. Ainda que não seja a tecnologia 3D que têm atraído as pessoas às salas de cinema, hoje estamos mais otimistas quanto ao futuro do cinema, que já não se encontra na situação que estava há alguns anos atrás.