A Revolução dos Bichos (George Orwell)

A Revolução dos Bichos - George Orwell

A Revolução dos Bichos - George Orwell

Apesar de ser uma das obras primas da literatura mundial, Orwell teve grande dificuldade em encontrar um editor e somente conseguiu lançá-la em 1945, causando desconforto pela clara crítica ao Socialismo. Sucesso instantâneo na Inglaterra e nos Estados Unidos, a obra foi rapidamente traduzida em várias línguas e tornou o autor um homem rico.

A história se passa na Granja do Solar, propriedade do Sr Jones. Major, um velho porco, sonhou com um mundo onde todos os bichos poderiam ser iguais aos humanos, seus donos, saindo da posição de escravos para a liberdade total. Resolve então pregar a idéia de uma revolução, o Animalismo. Segundo sua teoria todos os bichos irão trabalhar para si próprios e nunca mais precisariam se sujeitar aos caprichos dos seres humanos.

O Major morre, mas deixa dois discípulos, Bola-de-Neve e Napoleão, que, também porcos, passam a por em prática os sonhos do velho professor.

Um dia, os donos da Granja não alimentaram os animais e estes, revoltados e famintos, tentaram invadir o depósito dos alimentos. Jones e seus ajudantes conseguiram conter a invasão por meio de chicotadas. Estava iniciada a revolta, os bichos foram à luta e conseguiram expulsar todos os humanos da Granja. Começa a era Animalista, a Granja é rebatizada para Granja dos Bichos e o trabalho, assim como o fruto dele, passa a ser dividido entre todos. Uma bandeira é criada na cor verde com um chifre e uma ferradura para ser o símbolo do Animalismo, numa clara alusão ao Comunismo.
Tudo corre perfeitamente até que as intrigas começam a ocorrer na alta cúpula, Napoleão expulsa Bola-de-Neve que não aceita suas idéias. Aos poucos a escravidão ressurge, com uma diferença: os animais não mais trabalham para os humanos, mas sim para os porcos. Vai surgindo, então uma desigualdade social na Granja, onde os cachorros e porcos passam a serem novos burgueses e os demais bichos seus escravos.

Sete mandamentos, criados pelos porcos para reger todo o novo contexto, vão aos poucos sendo modificados por ordens de Napoleão. Aa memórias dos animais, não sendo lá grandes coisas, fazem com que diversas histórias sejam inventadas. Napoleão se aproveita desse fato e planta na cabeça de todos que Bola-de-Neve foi um grande traidor da grande libertação conseguida por todos.

Passado algum tempo, Napoleão passa a ocupar a casa do Sr. Jones, beber álcool, vestir as roupas do ex-dono e a andar somente sobre duas pernas convivendo normalmente com seres humanos. Instalou então um regime ditatorial, dominando e hostilizando os demais animais, considerados seres inferiores. Nessa época, já não era possível distinguir, quando reunidos à mesa, em confraternização festiva, o porco tirano e os homens dos quais se tornara amigo.