A Rebeldia em Crianças e Adolescentes

O comum e o padrão são sempre evitados: o cabelo de uma cor que não é natural, alguns sermões emaranhados, brinco na orelha, um cheiro de cigarro no jeans rasgado e camisetas escuras com a imagem de uma caveira; a conta alta de telefone, as carícias rejeitadas e os novos modismos; as falhas, erros e defeitos que nunca são aceitos, a resposta concisa, um personagem que tampouco entende a si próprio em um estágio na vida tão estranho, tão estranho que dói. O equilíbrio da adolescência é a rebeldia.

Adolescência, Infância e Rebeldia

Adolescência, Infância e Rebeldia

A adolescência é uma das metamorfoses mais complicadas e importantes na vida. Mas com todas as suas virtudes e defeitos, a estranheza desta fase poderia não ser o comportamento rebelde dos filhos, visto que isso pode ser evitado.

É importante saber primeiro que o comportamento excessivamente rebelde pode ser evitado desde o tempo em que os filhos estão na infância. Se for notado desde então, os pais e as crianças terão mais ferramentas para aprender a lidar com as diferentes fases da vida, inclusive com a futura adolescência. A família deve estabelecer um relacionamento baseado na comunicação: assim, os pais estarão conscientes da vida das crianças em todos os momentos e acima de tudo, eles terão mais confiança nelas.

Se, no entanto, a comunicação é negligenciada, as crianças permanecem presas em um mundo próprio sem ao menos compartilhar seus sentimentos com sua família. Então, dessa forma se tornará mais difícil quebrar as barreiras para alcançar esta criança, uma vez que a partir da perspectiva dos adolescentes, os pais somente dão atenção a eles quando eles querem justamente o contrário, ou seja, a comunicação com os pais chega tarde demais.

No entanto, é possível lidar e gerir esta fase, apesar do maior trabalho que irá lhe custar. A solução demanda tempo e paciência.

Quando os pais tentam aliviar a doença da adolescência, por vezes cometem um dos erros mais comuns: pensar que a cura está no poder da sua autoridade, consubstanciado a punição nos gritos. A conseqüência disso é que corroem o espírito delas e as crianças tornam-se mais rebeldes com o passar dos anos.

Ao mesmo tempo, entendemos que o fato de estar por trás de todas as ações das crianças o tempo todo é a matéria-prima para a rebelião. Pelo contrário, é importante cobrar por responsabilidade e ao mesmo tempo dar a elas certa liberdade, ensinando-as sempre a tomar suas próprias decisões.

Deve-se explorar melhor o potencial das crianças, como a adolescência é caracterizada por uma explosão de energia à espera de ser aproveitada. Se nessa idade, elas receberem o apoio para seus sonhos e desejos, as possibilidades estarão apenas começando à fim de realizá-los. Caso contrário, o adolescente terá uma visão fatalista da vida enquadrada na mediocridade: uma doença que mata silenciosamente.