A Realidade é uma Imaginação

É ponto pacífico que a realidade somente é compreensível porque é estruturada pelas leis naturais. Em outras palavras, a organização da realidade é uma evidência da origem racional da mesma. Portanto, a realidade não pode ser fruto do acaso, pois a probabilidade de geração de um evento desta magnitude é igual a zero. A quantidade de variáveis que precisaria ser combinada para gerar um evento como a realidade é praticamente infinita, pois envolveria todas as coisas do micro ao macrocosmo. Portanto, somos obrigados a admitir que todas as coisas são “imaginadas” ou estaremos contrariando as leis que suportam a Estatística. Evidentemente, esta admissão também implica na aceitação da existência de um imenso cérebro. Isto parece fantástico, mas vejamos alguns fatos que corroboram com esta idéia:

O reconhecimento da nossa capacidade imaginativa constitui uma evidência de que há uma imaginação natural, pois ela reflete a nossa percepção de que a realidade é composta de imagens. Em outras palavras, a palavra “imaginação”, isto é a “ação” de “imaginar”, ou seja, a “ação” de criar “imagens” é uma evidência de que o cérebro e a natureza trabalham da mesma maneira. As imagens reais são diferentes das cerebrais, porém não podem ser desqualificadas como tais, pois estas diferenças apenas mostram que elas são frutos de um cérebro muito mais poderoso do que o nosso.

O jornal New York Times publicou em janeiro de 2008 um artigo com o seguinte título jocoso: “Big Brain Theory. Have Cosmologists Lost Theirs?” (Teoria do Grande Cérebro. Será que os cosmologistas perderam os seus?) Isto ocorreu porque alguns pesquisadores divulgaram a identificação de características holográficas no universo. Entretanto, outro renomado pesquisador também divulgou a presença de características holográficas no cérebro.

Os três fatos acima parecem apenas especulações, mas é necessário lembrar que todas as formas reais são tridimensionais, isto é, as formas reais podem ser consideradas imagens holográficas holísticas, cujos processamentos somente são viáveis através de cérebros. Em suma, as formas são evidências de que a realidade é uma imaginação. Esta percepção é coletiva, pois a nossa relação com a realidade nos transmite este fato subliminarmente. Para obter mais informações relativas a este assunto, pesquise na internet, pois nela há farto material sobre a “Teoria do Big Brain”.