A Queda de Meteoros na Terra – E as Reais Ameaças à Vida Humana

Passagem de meteorito pela Rússia

Passagem de meteorito pela Rússia

No dia 15 de fevereiro de 2013, sexta-feira, o mundo foi surpreendido por um meteoro que caiu na região dos Montes Urais, na Rússia. Consta que a rocha pesava aproximadamente 10 toneladas e, segundo testemunhas, uma grande explosão ouviu-se depois, destruindo cerca de 100 mil metros quadrados de vidraças e afetando 3 mil prédios da região. E de acordo com autoridades locais, o meteoro deixou centenas de feridos, em sua maioria por estilhaços de vidro.

E coincidentemente, no mesmo dia 15 de fevereiro, um asteroide  batizado de 2012 DA14 – uma rocha espacial com cerca de 50 metros de diâmetro – passou raspando na Terra, a uma distância de 27 mil km. E não bastando tanta “coincidência”, moradores das cidades de Campos, Rio das Ostras e Cabo Frio, no litoral do Rio de Janeiro, também foram surpreendidos por uma bola de fogo que cruzou o céu fluminense na manhã do dia 20 de fevereiro, sendo esse fenômeno identificado como a queda de um meteoro.

O que dizem os especialistas sobre o assunto?

Muitas autoridades afirmam que nenhum corpo celeste ( asteroide ou cometa, de grandes proporções ) esteve em rota de colisão com a Terra até hoje, e que é pouco provável que isso aconteça um dia. Mas o fato é que acontecimentos envolvendo a queda desses corpos celestes acabam deixando milhões de pessoas de todas as partes do planeta assustadas e temendo o pior. Tanto é verdade que desde o dia em que o meteoro de aproximadamente 10 toneladas caiu na Rússia – causando pânico e destruição – milhões de pessoas passaram a culpar a NASA por não ter avisado a população desse país com antecedência.

Mas será que realmente temos motivos para temer que algum dia a vida na Terra poderá ser extinta pela queda de algum meteoro ou cometa? Bem, antes de mais nada, não custa nada lembrar que tais corpos celestes sempre existiram e continuarão a existir, e estatisticamente a chance de alguns deles colidirem com a Terra ainda é ínfima. E segundo estudos, é muito maior, por exemplo, a possibilidade de morrermos atingidos por uma bala perdida ou pela queda de um avião. Não queremos dizer com isso que devemos nos desinteressar pelas noticias envolvendo corpos celestes; mas o fato é que em nosso planeta todos os dias somos bombardeados por ameaças reais à vida humana, e que anualmente matam milhões de pessoas, como, por exemplo, a violência e a criminalidade, a miséria, a poluição, a falta de saneamento – apenas para citar algumas dessas ameaças.

Portanto, como vimos, o evento envolvendo a queda de um corpo celeste na Terra ainda é um acontecimento raro, e embora causa grande repercussão, não há motivos para alguém temer o pior. Porém, quanto às ameaças reais à vida humana citadas acima, estas sim, merecem a nossa séria preocupação, uma vez que tais ameaças podem comprometer o futuro nosso e principalmente de nossos filhos e netos.