A Pomba da Morte

Em vários lugares deste mundo, nos deparamos com lindas praças lotadas de pombos espalhados pelo chão, comendo das migalhas que lhes são jogadas pelas pessoas, as quais os acham lindinhos e maravilhosos, completamente inofensivos. É aí que mora o perigo, pois aqueles seres aparentemente inofensivos são portadores de más notícias.

Pombos

Pombos

Grandemente utilizados como correio nas primeiras guerras, os pombos na atualidade se tornaram uma praga em vários lugares, principalmente onde se cultivam grãos em grandes áreas e podem trazer em suas fezes doenças perigosas, que podem até matar. A criptococose, que também é conhecida por doença de Busse-Buschke ou Torulose, e ainda por Blastomicose Europeia é uma doença, uma micose causada pelo fungo Cryptococus Neofarms. As consequências da contaminação podem ser a penumonia e a meningite, e esta última merecendo especial atenção. Este fungo alimenta-se de resíduos orgânicos contidos nas fezes dos animais, especialmente dos pombos e a infecção se dá pela inalação dos esporos, frequentemente estabelecidos nos detritos daquelas aves. Após serem inaladas, as leveduras se multiplicam nos pulmões, disseminando-se pelo sangue e atingindo o cérebro. A viabilidade da doença pode se estender por até dois anos, quando está depositada nas fezes dos animais.

Uma das formas de controle das aves é justamente não lhes dar o alimento que vêm buscar, tão inocentemente, nas mãos das próprias vítimas. Outra, é incentivar a proliferação de seus predadores naturais, mas daí também podem advir outras consequencias não muito agradáveis. Exterminá-las talvez não seja a melhor opção, e quem sabe, não poderiam vir a ser uma alternativa de cardápio para quem não tem recursos para o franguinho de cada dia. De todo modo, o perigo paira no ar, portanto, muito cuidado ao se olhar para cima.