A Melhor Maneira de Fazer Harmonização de Vinhos

Harmonização de vinhos

Harmonização de vinhos

Algo que a maioria das pessoas sabem, é o fato de que os vinhos podem ser considerados como excelentes para acompanhar pratos alimentares, ou seja, diversos tipos de alimentos acabam por combinar perfeitamente com determinados tipos de vinhos, no entanto, claro, como existem diversos tipos de vinhos e também de pratos, é necessário que se faça a combinação de ambos de maneira adequada, e isto possui um nome, ou seja, a harmonização. Sendo assim, vejamos agora mesmo como deve ser realizada a harmonização de vinhos.

A harmonização

Antes de qualquer alimento ser servido, é considerado como bastante prazerosos que se tome uma taça de vinho, sendo que este poderá ser um espumante Brut, ou um Vermute Seco, assim como também um vinho branco seco.

Já com as carnes brancas e também com frutos do mar, pode ser considerado como adequado que se tome também um espumante brut, ou um demi-sec, um vinho branco seco frutado que seja jovem ou então levemente maduro. Tinto jovem leve ou médio corpo, branco maduro, rosé seco de qualidade, e também o rosé de boa estrutura.

Já para as carnes vermelhas, pode ser considerado como adequado o tinto jovem leve, o espumante brut, o tinto maduro robusto, e também o tinto maduro médio .

Para massas, os vinhos mais indicados acabam por ser o espumante brut, o branco jovem ou maduro, o tinto jovem leve, otinto maduro de médio corpo a robusto, e também o espumante brut de boa estrutura.

Para queijos, os vinhos mais indicados são o branco ou tinto jovem e leve, branco ou tinto jovem e leve, tinto jovem e maduro encorpado, branco maduro, tinto maduro de bom corpo, fortificado doce,

E por fim não podemos deixar de citar alguns alimentos que não combinam com vinhos, como por exemplo os temperos que sejam muito acentuados, como o shoyo, wasabi, curry, assim como também alimentos muito ácidos como o vinagre, limão, entre outros, e por fim, verduras e legumes, com por exemplo a alcachofra, o aspargo e também a couve, que acabam por fazer com que o vinho acabe por perder um pouco a sua delicadeza.