A Importância da Educação Familiar

A questão da  delinquência juvenil, que é um dos maiores problemas sociais,  e que é amplamente debatido por especialistas na área de segurança publica e por psicólogos renomados, é um fato lamentável deveras, e que deixa  muito alarmista de plantão de cabelo em pé. Mas felizmente nem tudo está perdido, ou não tão perdido quanto imaginávamos. Sabemos que a criança, á medida que vai crescendo física e emocionalmente, vai ensaiando seu primeiro voo rumo à adolescência.  Mas como alçar um voo seguro sem a devida supervisão de alguém que possa orientá-la e  servir-lhe de espelho?

A Importância da Educação Familiar

A Importância da Educação Familiar

A resposta é obvia: os pais é que têm  o dever de proporcionar aos filhos uma educação familiar de qualidade. Digo qualidade porque não basta dizer-lhes “o que fazer” ou “como fazer”. È preciso mais. É preciso inserir nessa educação a força do próprio exemplo, pois os filhos, via de regra, se espelham mais naquilo que fazemos ou somos do que  naquilo que dizemos. Ademais, é inadmissível que os pais deixem os seus filhos aos cuidados de uma babá eletrônica ( leia-se televisão ) como se esta os substituíssem à altura, dando sempre o que há de melhor em termos de educação e bons costumes.

Portanto, é de suma importância o papel desempenhado pelos pais na formação intelectual, moral e espiritual dos próprios filhos. Sem essa formação de base, os filhos se tornam presas fáceis – verdadeiras marionetes nas mãos de exploradores e bandidos.

Bem… é claro que o quadro é preocupante… Mas  felizmente muitos pais têm conseguido dar a conta do recado… E sem contar que Educadores Profissionais e muitos Meios de Comunicação –  a Televisão inclusive – têm conseguido conscientizar os pais sobre a importância deles na formação ou criação de um novo ser, feito à sua imagem e semelhança.

  • marcelo

    gostei do artigo, pois fala de uma realidade, a qual muitos pais não se deram conta – a importância deles na formação do filho.

  • vincicius

    acredito que os jovens precisam sim da orientação dos pais. mas não só deles, mas de todos os educadores para que eles se tornem adultos responsáveis.